segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mauá da Serra Mulher alega que companheiro matou recém-nascido e a obrigou a assumir a culpa

A mulher que teria assassinado o filho recém-nascido, na madrugada desta segunda-feira (22/08), em Mauá da Serra,
, mudou a versão relatada inicialmente. Ediocéia de Menezes, 36 anos afirma que a criança foi assassinada por seu companheiro e que foi obrigada a assumir o crime mediante ameaça de morte.
Em entrevista concedida ao TNOnline, a mulher alegou que era obrigada a se prostituir, mesmo durante a gestação. E, segundo ela, as relações sexuais frequentes teriam colaborado para o parto antes da data prevista.
“O meu bebê nasceu antes do tempo. E assim ele nasceu eu pensei que o homem que vive comigo ia cortar o cordão umbilical. Mas ele pegou a faca e ‘plantou’ na nuca e nas costas do meu bebê e olhou para minha cara e falou que não gostava de criança”, relata.
A mulher afirma que não ingeriu álcool nem substâncias ilícitas e culpa o companheiro pelo assassinato do filho. “Meu mundo acabou naquele momento. E ele pegou e disse que ia chamar a polícia e falou que era para eu assumir tudo ou então ele iria me matar”, conta.
Durante a entrevista, ela afirmou várias vezes que foi ameaçada. “Eu só falei que havia esfaqueado a minha barriga porque o homem que vive comigo me obrigou. Eu tenho dois filhos que eu amo. A raspinha do tacho ele matou”, afirma.
“Quem chamou a polícia foi ele. Ele disse que se eu quisesse sair viva da casa eu teria que assumir a culpa”, reiterou.
A Polícia Civil investiga o caso.
ENTENDA
O fato foi comunicado à Polícia Militar (PM) pelo companheiro da mulher. Segundo a PM, o homem relatou que sua convivente estava grávida de nove meses e teria praticado infanticídio.  Inicialmente Ediocéia. disse à polícia que sentiu dores e teria se auto esfaqueado para retirar o bebê do ventre. O corpo da criança foi encaminhado para exame de necropsia. Ela acabou sendo encaminhada para receber atendimento médico no posto de saúde de Mauá da Serra e depois ao Hospital da Providência, em Apucarana. Mesmo internada, ela foi autuada em flagrante por infanticídio.
De acordo com a PM de Mauá da Serra, no hospital foi constatado em exame preliminar que a mulher teria dado à luz e só depois a criança foi atingida por golpes de faca e teve dedos cortados. Ainda conforme a polícia, familiares e conhecidos relataram que a suspeita de cometer o crime teria transtornos mentais.
(Com reportagem de Luiz Demétrio)
da Tribuna do Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário