sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Paraná perde 458 médicos cubanos em 187 cidades

Os 458 que estão no Paraná representam pouco mais de 5% dos 8,5 mil médicos cubanos que atuam no programa
O desentendimento entre o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e o governo de Cuba, que sinaliza para o fim do convênio do programa Mais Médicos, pode representar uma baixa de 458 profissionais cubanos no Paraná. Eles atuam em 187 das 399 cidades paranaenses. O estado já chegou a ter 700 médicos vindos da ilha caribenha. Os 458 que estão no Paraná representam pouco mais de 5% dos 8,5 mil médicos cubanos que atuam no programa. As informações são de Katia Brembatti na Gazeta do Povo.A cidade mais afetada deve ser Ponta Grossa, que dispõe de 56 médicos cubanos – a maior quantidade no estado. Curitiba, por exemplo, conta com 5. Segundo Robson Xavier, secretário adjunto de Saúde em Ponta Grossa, os profissionais cubanos representam 75% da força de trabalho nas 54 unidades básicas e fizeram cerca de 300 mil consultas no ano passado. Ele destaca que são responsáveis por atendimentos domiciliares, programas de atenção à gestante, saúde da família e medicina preventiva. Durante os cinco anos de atuação na cidade, teriam contribuído para a redução de índices de mortalidade infantil.(Por Fábio Campana)

Nenhum comentário:

Postar um comentário