quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Suspeito de matar o jogador Daniel é preso, em São José dos Pinhais


O suspeito de matar o ex-jogador do Coritiba Daniel foi preso na manhã desta quinta-feira (1º) em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. A prisão ocorreu na casa onde o empresário de 38 anos mora.

"Trata-se de um pai de família que se viu na contingência de ter que reagir a um estupro que estava ocorrendo conta a mulher dele. A mulher gritou por socorro. Ele arrombou a porta, e esse indivíduo estava em cima da mulher dele tentando estuprar essa mulher", afirmou o advogado Cláudio Delladone, que defende o suspeito Edson Brittes Júnior e a esposa.

De acordo com o advogado, a prisão é temporária. A filha de 18 anos do suspeito também foi presa nesta manhã, no mesmo local, segundo o advogado. Eles saíram da residência e seguiram para a delegacia por volta das 8h15.

Conforme Dalledone, a esposa do suspeito se apresentou à polícia, na quarta (31). A mulher de 35 anos é mãe da jovem presa. Contudo, a RPC apurou que, na verdade, ela foi presa. A Polícia Civil confirmou.

Elas foram detidas para "averiguação", ainda de acordo com o advogado, que também disse que as prisões das duas são temporárias.

O advogado contou que os fatos aconteceram na comemoração do aniversário da jovem de 18 anos. O casal tem mais uma filha, uma menina de 11 anos.

"Um homem que não demonstra nenhuma periculosidade, mas que agiu impelido por um motivo de relevante valor moral, social e sob domínio de violenta emoção”, falou Dalledone sobre o empresário.

O advogado também disse que as fotos feitas e enviadas por Daniel, com a mulher, dizendo "vou comer", causaram um "brutal destempero emocional" no suspeito. As fotos foram tiradas na cama do casal, segundo Dalledone.

"Eles chegaram da casa noturna, estenderam um pouco. Era uma confraternização entre familiares, entre amigos. Tanto é que oito pessoas estavam na casa. Ele [Daniel] veio junto com outras pessoas, não foi um convidado, mas ele acabou entrando em um Uber de mais três pessoas. Chegou lá, se ausentou um pouco. E logo ouviram os pedidos de socorro. Esse moço abusou da confiança, esse moço tentou violar a mãe das filhas dele. Tudo é uma tragédia", disse o advogado.


Dalledone afirmou que a esposa do suspeito não conhecia Daniel. Conforme o advogado, o jogador era conhecido da filha de 18 anos do empresário.

"Ela fez esse aniversário. Esse aniversário contava com 100 convidados. Eles separaram dois camarotes. Esse moço foi até o aniversário, esteve ali, olhou todo mundo, viu, cumprimentou, pediu convite. Então, fazia parte desse contexto grandioso de amigos que ela tinha e ela tem", explicou Dalledone.

O advogado ressaltou que Daniel não fazia parte do convívio da família: "Isso é conversa fiada, fake news". Dalledone ainda afirmou que o atleta não tinha um caso com a esposa, nem com a filha do suspeito do crime.

O corpo de Daniel Corrêa de Freitas foi encontrado no sábado (27), em uma mata perto de uma estrada rural na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais. (DO G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário