Dia do Trabalho: 1º de maio tem atos contra e a favor do governo


Grupos de manifestantes contrários e favoráveis ao governo federal foram às ruas neste sábado (1º), Dia do trabalhador, em diversas cidades do Brasil.

Os críticos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pediram mais vacinas e defenderam direitos trabalhistas e a volta do pagamento do auxílio emergencial no valor de R$ 600.

Já apoiadores do governo criticaram o Supremo Tribunal Federal (STF) e pediram a volta do voto impresso e o fim das restrições sanitárias implantadas para conter a Covid-19 no país.

Em Salvador, houve duas manifestações na manhã deste sábado. A primeira foi feita por movimentos sociais e centrais sindicais na avenida ACM, uma das principais da capital baiana. Com cartazes, eles defenderam a criação de empregos e se posicionaram contra a privatização de estatais. Em seguida, o grupo foi para o Farol da Barra e colocou cruzes em frente a um dos principais pontos turísticos de Salvador, em homenagem às vítimas da Covid-19 no Brasil.

Foi realizado ainda um protesto da Associação dos Professores Licenciados do Brasil (APLB). O grupo colocou cerca de 200 cruzes em outro ponto do bairro da Barra, no Morro do Cristo. O objetivo foi relembrar os professores do ensino público que morreram em decorrência da Covid-19 na Bahia. (Com informações do G1)

Postar um comentário

0 Comentários